Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

A poluição chinesa vista pelo satélite da NASA

Mäyjo, 18.12.13

A poluição chinesa vista pelo satélite da NASA (com FOTOS)

 

Um dos temas mais falados no Green Savers aborda a poluição chinesa, um assunto que ainda é moderadamente mencionado nos meios de comunicação generalistas, mas que ganha cada vez uma importância internacional. Agora, foi a vez da agência norte-americana NASA disponibilizar algumas fotos do smog em Harbin, uma cidade com mais de 10 milhões de pessoas e cuja visibilidade se encontra reduzida a menos de dez metros. Devido à poluição, claro.

O smog forçou as escolas a suspenderem a actividade, fechou o aeroporto e reduziu a visibilidade do trânsito a níveis incríveis de perigosidade. O satélite Suomi NPP mostrou a gravidade da primeira grande onda de poluição do Inverno chinês e colocou a qualidade de ar da cidade em 500 – a pior possível. A partir de 300, os níveis são considerados perigosos para a saúde humana.

No satélite, as áreas mais claras são nevoeiro – que está cinzento ou amarelo devido à poluição atmosférica. Por outro lado, as áreas não afectadas pelo nevoeiro também se encontram cinzentas ou amarelas. A poluição está em todo o lado.

Alguns bairros da cidade têm concentração de partículas finas (PM2.5) tão altas como 1.000 microgramas por metro cúbico. Para se ter uma ideia do que isto representa, a Agência de Protecção Ambiental norte-americana afirma que os standards de qualidade de ar devem manter-se abaixo dos 35 microgramas por metro cúbico.

Alguns dias depois dos níveis de poluição começarem a subir, os hospitais de Harbin relataram um aumento de 30% nas admissões ligadas a problemas respiratórios. Por outro lado, várias farmácias venderam todas as máscaras anti-poluição nos últimos dias.

 

in: Green Savers

Reconstrução da Estação Central de Salzburgo aposta na energia geotermal

Mäyjo, 17.12.13

Reconstrução da Estação Central de Salzburgo aposta na energia geotermal (com FOTOS)

 

A reconstrução da Estação Central de Salzburgo, na Áustria, está quase completa e o projecto já recebeu dois grandes prémios. A firma alemã de arquitectura Kadawittfeldarchitektur venceu uma competição por ter redesenhado a estação em 2009, com um plano de melhoria dos transportes e da conectividade ao centro.

Os arquitectos tiveram de renovar as vias férreas, de forma a integrar a histórica estação da década de 1860 no novo plano, o qual incorpora várias pontes e passagens, bem como um sistema geotermal que fornece toda a energia necessária para o seu aquecimento e arrefecimento.

A Estação Central de Salzburgo continuou operacional enquanto este ambicioso processo de reconstrução estava a ser concretizado – 750 comboios, transportando cerca de 25 000 passageiros continuaram a circular, o que requereu um complexo planeamento. A alteração de vias pré-existentes teve de ser atentamente cronometrada e coreografada para uma transição sem o mínimo transtorno.

Espera-se que a reconstrução esteja finalizada em meados de 2014. Entretanto, o projecto recebeu o prémio austríaco Staatspreis Design e o European Steel Award.

 

in: Green Savers

Os 25 melhores filmes e documentários ambientais de sempre

Mäyjo, 17.12.13

Os 25 melhores filmes e documentários ambientais de sempre

 

Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras, e a verdade, tal como comprova a história, é que a imagem cinematográfica é uma ferramenta política e uma influência cultural. Deixamos-lhe aqui uma lista dos 25 melhores filmes e documentários realizados sobre o ambiente e sustentabilidade. Clique no ano do filme para aceder à página da Wikipedia sobre a obra.

 

Soylent Green (1973)

Realizado por Richard Fleischer, este filme de ficção científica pode ser considerado o primeiro a ser produzido sobre a temática ambiental. Soylent Green decorre em 2022, num planeta Terra superpovoado sem recursos que satisfaçam as necessidades da população. Em Nova Iorque existem cerca de 40 milhões de habitantes são alimentados à base de uma espécie de tablete verde, chamadas de Soylent Green, produzidos inicialmente a partir de algas. Apenas a população mais rica tem acesso a comida rara, como a carne, fruta e legumes. Quando um dos directores da Soylent Corporation, que produz as tabletes é assassinado, um detective começa a investigar o homicídio e acaba por descobrir a estarrecedora verdade sobre os componentes das tabletes verdes… que afinal são humanos.

 

Chinatown (1974)

Uma obra de Roman Polansky, passada na década de 1930, que retracta a investigação de um detective privado contratado para investigar a suposta traição de Hollis Mulwray, um engenheiro-chefe da companhia de águas e energia de Los Angeles. Durante a sua investigação, J.J. Gittes acaba por descobrir um esquema para o desvio de água e aquisições de terrenos no Vale de São Fernando, assim como o envolvimento de funcionários da companhia no esquema.

 

China Syndrome (1979)

Com Jane Fonda e Michael Douglas nos principais papéis, o filme conta a história de uma repórter e uma repórter de imagem que presenciam um estranho acontecimento numa central nuclear da Califórnia. A reportagem é recusada por um canal de televisão e após a recusa os dois repórteres começam a investigar o porquê do segredo em torno no acontecimento com a ajuda de um engenheiro da central. Um filme de James Bridges.

 

Koyaanisqatsi (1982)

Um dos filmes menos conhecidos sobre o meio ambiente, esta obra de Godfrey Reggio, orquestrada por Philip Glass, consiste na exibição de imagens de arquivo em câmara lenta e em time-lapse, de várias paisagens e acontecimentos da História Humana. O filme não contém qualquer diálogo ou narração. Koyaanisqatsi, que na língua Hopi significa “vida em desequilíbrio”, e é o primeiro filme da Triologia Qatsi, que retracta vários aspectos das relações entre os humanos, natureza e tecnologia. É considerado um filme de culto.

 

FernGully: The Last Rainforest (1992)

Baseado num livro da autoria de Diana Young, como o mesmo nome, este filme de animação conta a história dos habitantes mágicos de uma floresta tropical chamada GernGully, que lutam para salvar a floresta, que é ameaçada por Hexxus, um espírito maligno da poluição e destruição que as criaturas mágicas acreditavam ter sido extinto. Robbie Williams é um dos actores que dá voz a uma das personagens do filme. O filme é realizado por Bill Kroyer.

 

Erin Brockovich (2000)

Um clássico do cinema americano com Julia Roberts no papel principal. Erin Brockovich, a protagonista, é uma mãe solteira e desempregada que acaba por ser contratada pelo seu advogado, como assistente. Brockovich acaba por trabalhar num caso de uma companhia eléctrica californiana acusada de poluir o sistema de fornecimento de água da cidade. A protagonista descobre a verdade e desmascara a companhia. Um filme biográfico de Steven Soderbergh, que valeu a Julia Roberts o Óscar para melhor actriz.

 

Winged Migration (2001)

Um documentário dirigido por Jacques Pernin, Jacques Cluzaud e Michael Debats, que retrata os padrões migratórios das aves. Foi filmado nos sete continentes, em 40 países, ao longo de três anos.

 

Whale Rider (2003)

Whale Rider conta a hisória de uma tribo Maori, que vive no Leste da Nova Zelândia, e acredita ser descendente de Paikea, o domador de baleias. Segundo a tradição da tribo, primeiro filho do chefe da tribo seria considerado o descendente de Paikea e o líder espiritual do povo. Porém, após a morte do líder actual, que assume a liderança da tribo é a sua irmã, Pai, uma rapariga de 11 anos, que tem de enfrentar a resistência do avô, que insiste no cumprimento da tradição de que o chefe da tribo deve ser um homem. Whale Rider valeu a Keisha Castle-Hughes, que interpretou Pai, a nomeação para o Óscar de Melhor Actriz.

 

The Day After Tomorow (2004)

O filme conta a história de um paleoclimatologista que atravessa a América para resgatar o filho que está preso em Nova Iorque devido a uma tempestade internacional que conduz o planeta para uma nova Idade do Gelo devido às alterações provocadas pelo aquecimento global. Com Dennis Quaid, Jake Gyllenhaal e Emmy Rossum nos principais papéis, o filme foi realizado por Roland Emmerich.

 

Earthlings (2005)

O que começou por ser uma campanha de consciencialização pública sobre a castração de animais acabou por se tornar num documentário. Earthlings demorou cinco anos a ser produzido e recorreu ao uso de câmaras ocultas para denunciar as práticas das grandes indústrias cujos rendimentos se baseiam na exploração animal. O narrador é o actor e activista Joaquin Phoenix. Foi realizado por Shaun Monson e a banda sonora é da autoria de Moby.

 

An Inconvenient Truth (2006)

Um dos documentários mais conhecidos sobre os efeitos do aquecimento global, realizado por Davis Guggenheim e que retracta a campanha de Al Gore, antigo antigo vice-presidente dos Estados Unidos, para a consciencialização dos perigos do aquecimento global. Foi reconhecido com o Óscar para melhor documentário. Al Gore ganhou o Prémio Nóbel da Paz em 2007 pela sua campanha de consciencialização.

 

Fast Food Nation (2006)

Dirigido por Richard Linklater e baseado no livro homónimo de Eric Schlosser, Fast Food Nation é um filme que aborda os riscos para a saúde relacionados com a indústria da comida fast-food, bem como as suas consequências ambientais e sociais.

 

Sharkwater (2006)

Narrado e dirigido por RobStewart, este documentário retracta a vida dos tubarões e pretende contrariar as opiniões negativas acerca da espécie. Filmado em alta definição, Sharkwater expõe a exploração e corrupção da indústria de caça ao tubarão nas reservas marinas da Costa Ricas, Equador e Ilhas Galápago.

 

Encounters at the End of the World (2007)

O realizador Werner Herzog viajou até à Antárctica para retractar as paisagens e a vida das pessoas que habitam este local inóspito do planeta. Foi nomeado para o Óscar de Melhor Documentário.

 

King Corn (2007)

O documentário retracta a história de dois amigos dos tempos da faculdade que vivem na costa Leste dos Estados Unidos e se mudam para o estado de Iowa para cultivarem uma das plantações mais subsidiarizada dos Estados Unidos: o milho. Numa tentativa de perceberem o caminho do produto que cultivam no mercado, os dois amigos acabam por descobrir a verdade inconveniente sobre a indústria alimentar. Um documentário de Aaron Wolf.

 

The 11th Hour (2007)

Narrado e produzido por Leonardo DiCaprio, The 11th Hour leva-nos a revisitar os problemas do meio ambiente. Porém, ao contrário de outros documentários do género, este documentário apresenta um conjunto de soluções práticas para restaurar os ecossistemas do planeta. The 11th Hour contou com a contribuição de mais de 50 cientistas, activistas ambientais e políticos, nomeadamente o antigo líder soviético Mikhail Gorbachev, o físico Stephen Hawking, a vencedora do Prémio Nóbel da Paz Wangari Maathai e o jornalista Paul Hawken.

 

Food, Inc. (2008)

Este documentário de Robert Kenner revela a indústria de produção de animais norte-americana, concluindo que é que a carne produzida não tem qualidade, os processos de produção ameaçam o ambiente e é uma indústria abusiva tanto para os animais como para os funcionários.

 

Wall-E (2008)

Produzido pela Pixar Studios, este filme que ganhou o Óscar para o Melhor Filme de Animação em 2009, conta a história de Wall-E, um robot recolector de lixo. O filme decorre em 2805, altura em que a Terra é um planeta abandonado e coberto de lixo, o resultado de décadas de consumo intensivo. A população, que foi evacuada do planeta, vive agora em naves espaciais, impedida regressar à Terra devido à sua atmosfera tóxica. O planeta é apenas habitado por um exército de robots deixados para limpar o lixo. Wall-E é um destes robots, que se apaixona por Eva, um outro robot enviado à Terra para fazer uma prospecção de formas de vida reminiscentes.

 

Avatar (2009)

Escrito e dirigido por James Cameron (realizador do Titanic) Avatar passa-se em 2154 e é baseado num conflito que decorre em Pandora, uma das luas de Polifemo, um dos três planetas gasosos fictícios que orbitam o sistema Alpha Centauri. Em Pandora, os humanos que tentam colonizar o local e os nativos, a raça Na´vi, entram em guerra pelos recursos da lua e continuação da existência da espécie nativa.

 

Crude (2009)

É um documentário realizado e produzido por Joe Berlinger que retracta a história do processo movido por milhares de equatorianos contra a Chevron Corporation, devido à exploração de petróleo no Lago Agrio, um caso que foi descrito pelos activistas como a Chernobyl da Amazónia.

 

Tapped (2009)

Outro documentário norte-americano que nos leva aos meandros da indústria comercializadora de água engarrafada. Stephanie Soechting e Jason Lindsey, os realizadores, centraram-se nas gigantes desta indústria, as Águas Nestlé e a PepsiCo. Os realizadores visitaram uma cidade onde a Nestlé tem uma fábrica instalada, assim como realizaram testes às garrafas que a empresa utiliza. Uma das conclusões apresentada neste documentário é que na realidade cerca de 40% da água engarrafada é, na verdade, água da rede filtrada.

 

The Antarctica Challenge (2009)

Um documentário de Mark Terry que dá a conhecer a investigação sobre as alterações climáticas que está a ser feita pelos cientistas na Antárctica.

 

The Cove (2009)

Galardoado com o Óscar para melhor Documentário Temático, The Cove – realizado por Louie Psihovos, antigo fotógrafo da National Geographic – analiza e questiona a cultura japonesa de caça ao golfinho.

 

GasLand (2010)

Nomeado para o Óscar de Melhor Documentário, GasLand foca-se em várias comunidades norte-americanas que foram abordadas por companhias energéticas com o intuito de arrendarem as suas propriedades para que estas empresas pudessem fazer a prospecção e extracção de gás de xisto através do processo de fracturação hidráulica.

 

The Polar Explorer (2011)

Um documentário que retracta os efeitos das alterações climáticas nas regiões polares e inclui o acompanhamento de uma expedição científica à Passagem do Noroeste – rota marítima formada por estreitos sequenciais na região norte da América, que fica localizada p´roxima do Círculo Polar Árctico e que possibilita a junção do Estreito de Bering e do Estreito de Davies, fazendo a conexão entre o oceano Pacífico e Atlântico -, que explora pela primeira vez áreas que anteriormente eram inacessíveis devido ao gelo.

 

 

in: Green Savers

Maior concentração da produção garante autosuficiência portuguesa nos cereais

Mäyjo, 16.12.13

Maior concentração da produção garante autosuficiência portuguesa nos cereais

 

Portugal reúne condições para se tornar autosuficiente na produção de determinados cereais, oleaginosas e proteaginosas, combatendo as importações que dominam o mercado, revela um estudo divulgado em Elvas, Alentejo, pela Associação Nacional de Produtores de Cereais, Oleaginosas e Proteaginosas (ANPOC).

Para combater as importações, Bernardo Albino, o presidente da ANPOC, defendeu uma “maior concentração” da produção, cabendo às organizações de produtores o trabalho de concentrarem a produção e gerar uma “maior homogeneidade” do produto ano após ano.

“Acreditamos piamente que esse caminho é possível, assim queira o Estado, os produtores e a indústria”, explicou à Lusa Bernardo Albino.

O estudo não abrange determinados cereais, como o milho, o sorgo e o arroz, dedicando-se a investigação ao mercado dos trigos (mole e duro), aveia, triticale, centeio, cevada, girassol, soja, feijão, fava e ervilha.

“Dentro destes produtos que organizámos por fileiras, estudámos de que forma a produção agrícola nacional poderia gerar mais rendimento para os agricultores e organizações de produtores. Estamos a falar de importações no sector num valor superior de mil milhões de euros por ano”.

O dirigente agrícola observou que o estudo revela, ainda, que Portugal “não é muito competitivo” na produção de produtos agrícolas indiferenciados, defendendo que o País tem de apostar na “qualidade”.

“Nós não temos capacidade para ser auto suficientes em várias áreas, mas nos produtos de menor valor acrescentado temos imenso espaço para crescer, como é o caso da cevada dística, trigo duro, trigo mole, grão, fava, entre outros”.

 

Foto: Sob licença Creative Commons


in: Green Savers

Jogo de Natal

Mäyjo, 16.12.13

Como hoje já há pouco para fazer vamos jogar!

 

Proponho-vos um jogo sobre as tradições natalícias nos diferentes países da União Europeia.

 Clica na imagem:  

 

 

 Divirtam-se a aprender!!